Sucesso. Esta é a palavra que defina a oitava edição da Pomerfest, evento tradicional da cultura pomerana organizado pela Associação Pomerana de Pancas (APOP). O final de semana foi repleto de atrações diversificadas, que valorizaram as tradições e costumes deste povo batalhador.
Durante os três dias, cerca de 12 mil pessoas passaram pelo distrito de Laginha e ocuparam a avenida da praça central. As barracas venderam muita comida e bebida, com destaque para as barracas tradicionais. Somente as barracas do coral da Igreja Luterana (IECLB) e da Barraca Pomerana (IELB) venderam mais de 500kg de linguiça, centenas de broudts (banana e puro), mais de mil almoços, mais de mil caldos, cerca de 600 porções, 20 bolos de leite ninho, 50 pudins, entre outros pratos comuns e tradicionais servidos.

O presidente da APOP, Julio Dettmann (foto), agradeceu a todos os envolvidos. “A organização da Pomerfest envolve muita gente que se doa, se dedica e acredita no evento. Meu agradecimento vai a cada uma delas, pois cada uma faz por amor. O voluntariado é o que torna esta festa tão linda. Espero que a cada ano esta festa se potencialize sem perder estas características de festa da comunidade que valoriza e se orgulha das suas tradições”, explicou Julio.

O prefeito de Pancas, Dr. Sidiclei (PDT, foto), esteve presente nos três dias do evento. “Esta é uma parceria importante entre Prefeitura e APOP. Através de um evento tão grandioso como este conseguimos valorizar os pomeranos através de manifestações culturais tão lindas. Foram muitos atrativos que encantaram a comunidade e também os muitos turistas que estiveram em Laginha. Quero aqui desejar os parabéns aos membros da APOP, na pessoa do seu presidente Julio Dettmann, e também a toda nossa equipe da prefeitura que se empenhou para realizar o repasse e cuidar do paisagismo urbano do distrito de Laginha. Também agradeço aos vereadores que têm apoiado muito estas iniciativas culturais do município”, disse o prefeito.
O subsecretário de Turismo e Cultura, Smilei Duques, elogiou muito à organização. “Todos os envolvidos estão de parabéns. Foi uma festa que fica na história. O povo pomerano merece uma festa desse nível, que valorize todos os elementos da cultura, como dança, língua e gastronomia”, disse.
O evento contou com a presença dos vereadores do município, que também incentivaram a parceria do poder público com a APOP.
 
Deputados presentes
O evento contou com a presença dos deputados Raquel Lessa (SDD, foto abaixo) e Da Vitória (PDT). Eles gostaram muito do evento. Raquel, que esteve na sexta e no sábado, ficou encantada com a Pomerfest. “Esta manifestação cultural é fantástica. A APOP cuidou de detalhes para fazer este evento tão bonito assim. Fiquei encantada com o desfile típico, que colocou a realidade e a força deste povo guerreiro na avenida”, disse Raquel.
 

O deputado Da Vitória (foto abaixo, camiseta azul) também gostou da Pomerfest. “É um evento bem completo, que mantém a sua essência valorizando os elementos culturais dos pomeranos. Pancas está de parabéns! O prefeito Dr. Sidiclei também, pois incentivou muito a realização deste evento. E no dia-a-dia da comunidade também valoriza a cultura, pois em Pancas 9 escolas têm ensino da língua falada e escrita, além da valorização cultural. Pancas tem um enorme potencial para turismo cultural e de aventura”, explicou o deputado.

TURISMO
Durante estes três dias de evento a economia local ficou mais fortalecida. O município recebeu turistas de diversos lugares, como Santa Catarina, Rio de Janeiro, Nordeste, de todo o Espírito Santo e até mesmo da Alemanha. Com a grande movimentação, hoteis e pousadas ficaram lotados, restaurantes aumentaram suas vendas e todo o comércio vendeu mais. Além disso, o potencial da região também foi evidenciado, inclusive com as belezas naturais.
 
O EVENTO
A programação da sexta-feira começou às 19h, com abertura da praça de alimentação ao som de músicas típicas pomeranas. Logo após houve a abertura oficial com a presença de autoridades. Às 21h aconteceu o show com Leandro Messa, seguido do show com Procópio, O Cowboy.
 
O sábado começou cedo. A partir das 8h houve arrumação dos carros do desfile, com café pomerano comunitário. Ao meio dia aconteceu o almoço pomerano no restaurante Sabor de Casa. Às 14h aconteceu o bloco #vemPraPomer. Às 18h aconteceu o desfile típico, detalhado ao final da matéria. Às 21h o show típico tradicional com a banda Pommer Mekas e às 23h30 com André Lemos.
 
Domingo começou ainda mais cedo. Às 7h aconteceu a alvorada com uma Banda de Metais. A partir das 8h o Encontro de Carros Antigos. Em paralelo houve Show de Concertina. A partir das 10h aconteceu apresentação com grupos de danças tradicionais. Às 11h aconteceu almoço na Praça de Alimentação. Às 14h30 houve show de moda de viola com Marcos e Rodrigo. Às 17h30 foi a vez de Chapolin e a festa foi encerrada com o show do Felipe Fantim.
 
DESFILE
O desfile foi o ponto alto do evento. Encheu os olhos e emocionou os corações. Cada passo foi pensado com detalhes. E o objetivo foi alcançado. A avenida e a praça ficaram lotadas com o desfile, que começou com o cartaz do evento em movimento, com o personagem principal, Sr. Artim Schram, desfilando emoldurado por uma estrutura simulando a arte do cartaz ao som da trilha oficial Pomerfest Aqui em Laginha. É uma versão da divertida música A Marreca. A letra da versão foi feita em 2016 por professores e funcionários do CEIM Laurindo Barbosa que estavam trabalhando a Pomerfest junto aos seus alunos. A gravação foi feita pela banda de Santa Maria de Jetibá, Fritz Freuden.

Logo após o Sr. Artim passar pela avenida, um grupo de jovens carregava oito placas que de um lado tinham fotos de pomeranos da região de Laginha e do outro montavam a frase Sejam bem-vindos à 8ª Pomerfest. Tudo muito bem coreografado. Lógico que os dizeres “Nossa Terra, Nossa Gente”, tema do desfile, estavam presentes o tempo todo.

Em seguida, outro grupo de jovens trazia os dizeres de Pomerfest é… e placas de cultura, alegria, tradição e festa. O grupo Edelstein também fez uma breve apresentação de dança típica pomerana, com uniformes novinhos e muito bonitos. Em seguida, um grupo de crianças caracterizadas também passou pelo desfile, prometendo assim manter viva a tradição no futuro.
 
Logo após, a banda de metais de Domingos Martins, também fez uma apresentação seguida pela ala da Juventude Pomerana trouxe a triste realidade da seca, que atingiu a região nos últimos anos. Logo o primeiro carro alegórico chamou muita atenção. Uma Tobata tinha a sua frente uma cabeça de boi, representando os efeitos da seca. Pelo nariz do boi, foi feito um efeito especial, como se o boi estivesse bufando de raiva ou mesmo de tristeza. O carro carregava também uma bananeira com um cacho pequeno, representando a baixa produção durante a seca.

 
Em seguida, veio outra Tobata, que fez chover na avenida. Com a chuva, a esperança se renova. Assim, passou pela avenida um grande trator, representando que com a chuva a produção recomeça e a esperança é retomada. Este trator estava enfeitado com flores, que reaparecem com as chuvas. Atores representaram como é feito o semear das sementes.
 
Após, chegou a hora da colheita. Uma nova Tobata passou com um engenho produzindo cana de açúcar ao vivo. Houve também distribuição de linguiça e o tradicional broudt.  
A alegoria A Esperança Faz Renascer começou com a Rainha da Água, uma menina com um vestido enorme, que fez parte de uma bela coreografia. Simultaneamente, bolhas de sabão eram jogadas no ar, representando a água e a esperança renovada. Na sequência, uma mãe e suas gêmeas passaram pela avenida com três bicicletas enfeitadas com flores.

 
Em seguida, um veículo passou com flores que foram jogadas para a população. O prefeito Dr. Sidiclei “pegou uma carona” neste veículo. Na sequência, crianças pequenas foram transportadas em carrinhos bem pequenos junto a pais e familiares, todos devidamente trajados tipicamente de pomeranos. As crianças um pouco maiores também desfilaram com seus pais e familiares. Outras crianças também passaram carregando peneiras pequenas com café, símbolo do trabalho na roça. Meninos também transportaram abóbora, coco, mandioca e outros produtos em carrinhos de mão feitos sob medida.

 
Logo após, uma Toyota passou carregando o café, que é muito produzido na região especialmente por pomeranos. Em seguida, passou o Carro dos Noivos, representando o casamento pomerano, seguido de um grupo que representava a os padrinhos e convidados do casamento. Na sequência, outro caminhão deu continuidade à representação das festividades do casamento pomerano. Por fim, encerrando o desfile, entraram as Toyotas com distribuição de 500 litros de chope.
Confira um vídeo resumo do desfile:

Comentários do Facebook