O Prefeito de Pancas, Dr. Sidiclei (PDT), confirmou a presença do Programa de Assistência Dermatológica (PAD) no distrito de Laginha. O programa tem como objetivo realizar prevenções e tratamento de câncer de pele e acontecerá no dia 24 e 25 de agosto. Estiveram no gabinete do prefeito o superintendente da instituição, João Paulo Auler, juntamente Nayara Bernardis do Albergue Martinho Lutero.

Esta será a terceira vez que o PAD acontece no município na administração do prefeito Dr. Sidiclei. “Estou muito feliz em, novamente, poder contribuir para que uma ação tão importante quanto essa aconteça em nosso município. Receber profissionais qualificados e estudantes de medicina para atender nossa população promove muito a saúde”, disse o prefeito Dr. Sidiclei. 

O PAD 

Serão realizados atendimentos clínicos dermatológicos e cirúrgicos para a retirada de lesões compatíveis com o câncer de pele. O trabalho é desenvolvido pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), com a ajuda da Secretaria Municipal de Saúde e Igreja Luterana.

O projeto de rastreamento do câncer de pele, sobretudo, na população pomerana do ES, em 2019,  completa 32 anos de atividades. A ideia do trabalho surgiu quando o médico dermatologista Carlos Cley Coelho, do Hospital das Clínicas, percebeu o grande número de descendentes de pomeranos com lesões cancerígenas. O câncer de pele corresponde a 25% dos tumores malignos registrados no Brasil e, quando detectado no início, tem grandes chances de cura.

Segundo os especialista, em média de 10% da população que procura a equipe médica do projeto tem lesões pré-cancerígenas ou câncer de pele. A maioria tem a pele sensível por hereditariedade e toma muito sol trabalhando nas lavouras. Parte do trabalho feito pela equipe é de educação, ensinando a população a se proteger com bonés e calça na hora do trabalho.

O programa conta com uma estrutura composta de muitos profissionais:  cirurgiões plásticos, dermatologistas e enfermeiros, além dos motoristas que transportam o grupo e os equipamentos. Participam ainda dos trabalhos nas comunidades, alunos de medicina e enfermagem da Ufes e profissionais das secretarias de Saúde dos municípios.

Comentários do Facebook