A Prefeitura de Pancas, por meio da Secretaria Municipal de Educação, realizou nesta quarta-feira, 24, a 1ª Oficina de atividades adaptadas para alunos com Transtorno Espectro Autista (TEA), a fim de orientar professores, pedagogos e cuidadores a aperfeiçoar a prática pedagógica em sala de aula, dando melhores condições de aprendizagem e eliminação de entraves próprios de alunos com TEA.

A Secretária de Educação, Ângela Marchesini, ressalta a importância desta oficina. “Temos trabalhado pela inclusão de todos nas nossas escolas. Por isso, nosso prefeito Dr. Sidiclei em parceria com a Sociedade Pestalozzi realizou a contratação de um psicólogo e uma fonoaudióloga para atender os alunos da Rede Municipal de Ensino. O psicólogo Alvaro Augusto Santiago Vieira, a fonoaudióloga Rogeria Seares e a pedagoga Elenilce Silverol, referência Técnica da Educação Inclusiva e especial, preocupados com o aumento de crianças diagnosticadas com TEA, sentiram a necessidade de realizar a oficina, a fim de capacitar os profissionais para melhor atendê-los em sala de aula, contribuindo assim para melhoria do processo ensino-aprendizagem”, disse Ângela

 

O TEA engloba diferentes condições marcadas por perturbações do desenvolvimento neurológico com três características fundamentais, que podem manifestar-se em conjunto ou isoladamente. São elas: dificuldade de comunicação por deficiência no domínio da linguagem e no uso da imaginação para lidar com jogos simbólicos, dificuldade de socialização e padrão de comportamento restritivo e repetitivo, por isso eles precisam de atendimento específico, portanto, dentro do contexto escolar.

Comentários do Facebook