Muitas ocorrências de incêndio tem colocado a população de Pancas em alerta. As equipes de secretaria de Meio Ambiente e da Defesa Civil tiveram um trabalho duro nestes últimos dias. O tempo seco e quente é o principal motivo das queimadas, que por muitas vezes começam com uma simples ponta de cigarro acesa jogada dos veículos nas rodovias.

Nesta sexta-feira, 20, equipes do município foram acionadas registrando seis focos de incêndio, no córrego Paranazinho, Ponte do Castelo, Ponte do Rio Pancas, Serra da Sapucaia, estádio Laurindo Barbosa e próximo ao trevo de Vila Verde.

Árvores caíram na pista entre Pancas e Vila Verde devido ao fogo, mas o trânsito já foi liberado graças ao eficiente trabalho da equipe da Defesa Civil e colaboradores.

Na noite desta quinta-feira, 19, mais focos assustaram a população. No córrego Paranazinho, o incêndio começou por volta das 16h30 e às 18h30 próximo ao trevo de Vila Verde, sentido ao município de Alto Rio Novo.


Queimada sem licença do órgão ambiental é incêndio criminoso e é punida pela lei de crimes ambientais (9605/98), com multa e 4 anos de reclusão. Nesse período, nenhum órgão ambiental libera as queimadas de pasto, lixo doméstico e outros.

“A defesa civil de Pancas está estruturada para atender com todos os equipamentos necessários para dar uma resposta rápida à população. Alertamos ainda que nesse período até 31 de outubro é proibido qualquer tipo de queimada devido ao tempo muito seco”, disse o coordenador da Defesa Civil em Pancas, Leandro da Rocha Vieira.

Em caso de incêndios, entre em contato com o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193, Defesa Civil de Pancas pelo telefone 99603.1484 ou Polícia Militar pelo 190.

Comentários do Facebook